Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Projeto Sonoscopia | Guimarães Jazz

Projeto Sonoscopia | Guimarães Jazz

Música & Festivais | Jazz

C. Cultural Vila Flor

Pequeno Auditório
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2021
nov
18

Sessão

18 nov 2021 19:30
Dias
Hrs
Min
Seg

Promotor

Oficina CIPRL

Breve Introdução

Nas últimas três edições do festival, o Guimarães Jazz abriu uma nova vertente de conhecimento da música contemporânea dedicada à exploração dos territórios mais tangenciais ao jazz, nos quais se somatizam os processos e as ideias originárias dos movimentos mais radicais de abolição entre as fronteiras do som iniciados por compositores seminais da história da música do século XXI, como Luigi Russolo, John Cage ou Karlheinz Stockhausen. Assumidamente afiliado nesta corrente estética disruptiva no qual todos os media disponíveis (som, imagem e linguagem) concorrem para a criação de discursos sonoros, o coletivo Sonoscopia propõe em 2021 um duo inédito de instrumentos não-convencionais e piano preparado formado por Henrique Fernandes e Joana Sá, dois músicos e artistas que, com discrição e integridade, têm desenvolvido ao longo dos últimos quinze anos percursos artísticos distintos, embora semelhantes em termos de originalidade, criatividade e pertinência, nas margens dos formatos consensualizados pela indústria musical.
Graduado pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo em contrabaixo, cujos estudos iniciou ainda na adolescência, e apesar de um início profissional organizado em torno dos circuitos convencionais da música clássica, Henrique Fernandes começou desde muito cedo no seu percurso artístico a envolver-se com a dinâmica da música experimental, improvisada e multidisciplinar que germinou na cidade do Porto nos anos 2000. Este movimento particular, do qual Fernandes foi uma figura pivot, congregou muitos outros elementos oriundos de diversos territórios musicais urbanos (heavy-metal, rock industrial, dub, hip-hop) e projetou alguns dos mais interessantes projetos e artistas da música contemporânea portuguesa, como Jonathan Uliel Saldanha, Gustavo Costa ou João Pais Filipe. Depois desse período de intensa atividade, integrado em projetos como o coletivo Mécanosphère ou o grupo de jazzcore Lost Gorbachevs, entre muitos outros, ou em colaboração com alguns dos nomes mais influentes da música contemporânea europeia (sendo de destacar, entre outros, o antigo vocalista da banda de krautrock Damo Suzuki e o percussionista Fritz Hauser), Henrique Fernandes concentrou o seu trabalho na criação de novos instrumentos e de instalações sonoras. Desde então, as suas criações, a título individual ou no contexto do coletivo Sonoscopia, da qual é um dos fundadores, têm sido consistentemente apresentadas, em contextos expositivos ou performáticos, em Portugal e em vários pontos do mundo.
Pianista, improvisadora e compositora, Joana Sá desenvolve o seu trabalho primordialmente nas áreas da Música Nova e da música contemporânea. Autora de um vasto e impactante corpo de trabalho composicional, que gravou e apresentou nas salas mais reputadas do país e em vários festivais internacionais, a obra multifacetada desta artista, inclui a trilogia de solos para piano "À escuta o aberto (2010-2019)", de acordo as palavras da própria, o seu trabalho mais complexo e o tema central da sua tese de doutoramento, finalizada em 2020. De entre os seus projetos colaborativos podem destacar-se a sua relação de mais de vinte anos de cumplicidade artística como guitarrista Luís J Martins em vários grupos de formação variável, além do duo que mantém com a cantora grega Savina Yannatou e a colaboração com a artista plástica Rita Sá. Para além da sua obra criativa, caracterizada pela sua transversalidade, interdisciplinaridade e multidimensionalidade, Joana Sá mantém uma atividade relevante como investigadora e desenvolve também projetos de comunidade, acompanhando residências e seminários e promovendo a música como forma de integração social e de consolidação da memória.

Ficha Artística

Henrique Fernandes, objetos amplificados, cordas, hidrofones e retroprojeções
Joana Sá, piano preparado

Preços

10,00€ / 7,50€ c/d

                                  

DESCONTOS:

 

Cartão Jovem I Estudante I Menores de 30 anos I Maiores de 65 anos I Deficientes e Acompanhante I Quadrilátero

 

-
Partilhar
Quadrilátero
GUIMARÃES JAZZ 2021
GUIMARÃES JAZZ 2021 | 3 Concertos
GUIMARÃES JAZZ 2021 | 4 Concertos

Serviços Adicionais