Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
GUITAR SURPRISE | FIGG 2021

GUITAR SURPRISE | FIGG 2021

Música & Festivais | Música

C. Cultural Vila Flor

Pequeno Auditório
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2021
dez
27

Sessão

27 dez 2021 21:30
Dias
Hrs
Min
Seg

Produtor

Sociedade Musical de Guimarães

Sinopse

"GUITAR SURPRISE" de Raúl Cantizano + Los Voluble

Um concerto onde a folgança, a improvisação e a mudança de máscaras se encontram, dirigindo o som do flamenco e do experimental para novas fronteiras. No final de 2017 vinha a lume o Guitar Surprise: mito y geología del Canti, um álbum muito pessoal, no qual Cantizano trabalha sobre as máscaras como guitarrista. 18 temas que vão do flamenco à música ambiente, da experimentação ao africanismo ou do rock à banda sonora.

No palco, Cantizano interliga diversos modos de entender a guitarra flamenca preparada para dar um passo em frente e trabalhar a partir do ruído, da improvisação livre, e aproximar-se, a partir do flamenco, da "tradição" de Fred Frith ou da filosofia de John Cage.

Um flamenco não entendido como património imóvel, mas sim como arte em constante busca e evolução, porque está no presente. Um flamengo que volta à rebeldia, à necessidade primária de contar coisas e de se posicionar contra os modelos padronizados. Uma busca do duende como a ideia de surpresa comum; de quão interessante é, tanto para quem interpreta como para quem ouve, encontrar algo inesperado.

Ficha Artística

Raul Cantizano Guitarras, samplers

Los Voluble, vídeos e realização em direto

Informações Adicionais

Raúl Cantizano (Sevilha 1973) é um guitarrista inclassificável e único, um explorador dos limites do instrumento e dos géneros. A sua música, entre o flamenco, a música ambiente, a improvisação e o rock, é experimental no sentido mais diáfano da palavra. Podemos ouvir a guitarra deste músico adscrito e proscrito do flamenco, iconoclasta e combativo nas suas gravações a solo e em muitas colaborações.

Como guitarrista, acompanhou e fez parte dos projetos mais renovadores do flamenco do século XXI. Guitarrista de Niño de Elche, Rocio Márquez ou Andrés Marín, colaborou com Llorenç Barber ou Juan Carlos Lérida, entre muitos outros artistas flamengos; Belém Maya, Choni Cía Flamenca, Marco Vargas & Chloé Brûlé.


Los voluble produzem, há duas décadas, ecléticas sessões de dança alimentadas pela experimentação audiovisual. Os seus live dirty mix misturam material de arquivo, música eletrónica global e cinema ao vivo, para nos aproximarmos da sua reflexão sobre a heterodoxia do flamenco, a cultura cigana e o partido como ação política.

Pedro e Benito Jiménez andam metidos no remix há mais de duas décadas: live cinema, folclore digital ou vídeo de remix político. Tanto em propostas mais pessoais como Borderhack, sobre migrações e fronteiras, como em espaços mais coletivos, a sua colaboração contínua com bulos.net (Santi Barber e Raúl Cantizano), os seus conhecidos trabalhos com Niño de Elche em Raverdial e En el nombre de, ou as suas colaborações com Rocío Márquez e Manuel León Moreno em La Costilla de Rocío, demonstram a sua versatilidade e gosto pela investigação e experimentação sonora, audiovisual e conceptual.

Preços

  • Plateia - 10€

-
Partilhar

Serviços Adicionais